Psicologia nas empresas

Psicologia nas empresas: como ela pode impulsionar seu negócio

Como obter a melhor produtividade e ainda promover saúde e bem-estar nas empresas? Não há outra disciplina melhor que a psicologia para responder esta pergunta. E, além de responder, também é a melhor para planejar ações que melhorem esses aspectos. Sabemos que a psicologia nas empresas não se reduz a isso somente. O conceito psicologia nas empresas é muito amplo, podendo abordar diversos fenômenos existentes em uma organização.

Pela própria amplitude de análise e possibilidade de solucionar diversos problemas dentro das empresas, a psicologia já mostra sua importância fundamental. E também é uma alternativa fortemente indicada para realizar mudanças impactantes dentro de uma empresa – podendo concernir a cultura organizacional, os relacionamentos interpessoais, o estímulo à inovação e prevenção de doenças.

O que justifica essa importância inabalável da psicologia é a base científica por trás dela.

Ideias psicológicas sempre existiram em nossa civilização ocidental. Os filósofos da Grécia antiga já abordavam conceitos e pressupostos da psicologia para desenvolver suas ideias.

Mas foi somente no século XIX que a psicologia ganhou características de ciência. Ao contrário do que muitos pensam, não foi com a psicanálise de Sigmund Freud. E, além disso, Freud não caracterizava seus estudos e prática como psicologia. Ele se referia a sua clínica como uma metapsicologia. Grosso modo, é a psicologia que orienta uma prática psicológica.

Então, psicologia em si como ciência foi fundada em 1879, com a criação do primeiro laboratório de psicologia em Leipzing, por Wilhelm Wundt. Ele focou principalmente em psicofísica e introspecção, mas abriu portas para a psicologia enquanto ciência.

A partir daí, diversos campos e teorias da psicologia foram inaugurados e trabalhados. Dentre eles estão a psicologia organizacional e a psicologia do trabalho.

Estes dois campos são os mais frequentemente associados à execução de práticas psicológicas nas empresas. E mais especificamente como área importante somente para os profissionais de RH.

No entanto, não é somente dessas duas áreas da psicologia que as empresas podem agregar valor e conhecimento. Há diversas teorias clínicas e comportamentais das quais as empresas podem tirar imenso proveito.

E não somente o setor de RH, mas todas as pessoas da empresa – independente da função ou cargo.

Isso se deve a uma razão muito simples e irrefutável: todas as empresas dependem das pessoas! E isso torna as pessoas o que as empresas têm de mais valioso! Se as pessoas estão bem, a organização tem maiores condições de obter sucesso.

A psicologia nasceu pela necessidade de estudar as pessoas como um todo: a mente, as emoções, os comportamentos, etc. Portanto, se as pessoas são fundamentais às empresas, isso faz da psicologia nas empresas também fundamental para qualquer organização. Pois a psicologia é a ciência com os melhores recursos disponíveis para estudar as pessoas e seus comportamentos.

Neste artigo iremos abordar diferentes e valiosas formas que as organizações podem usufruir da psicologia nas empresas.

Continue lendo e descubra como você pode aplica-la no seu negócio.

Psicologia nas empresas para prevenção de doenças e dependência química

A psicologia também é uma área da saúde. Você se lembra que anteriormente neste artigo, foi falado que a psicologia nas empresas não é exclusivamente organizacional e do trabalho? O motivo é que essas duas áreas pegam referências de outras da psicologia.

É necessário aderir fortemente à psicologia da saúde mental para realizar as melhores prevenções possíveis.

As doenças mentais estão entre as que mais incapacitam as pessoas, o que repercute na produtividade e assiduidade no trabalho. Isso faz com que as empresas percam muito dinheiro com esses males mentais.

Em 2010, por exemplo, os custos diretos e indiretos com a depressão foram por volta de US$800 bilhões em todo o mundo. E isso deve mais que dobrar nos próximos 20 anos, segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS).

A depressão tem alta taxa de co-morbidade com outras incapacitações mentais, como o estresse, a ansiedade e o abuso de drogas.

Eventos direcionados à psicoeducação dos colaboradores, como Palestras e Workshops, servirão para educar as pessoas sobre como enfrentar episódios depressivos e ansiosos – seja no trabalho ou vida pessoal. Bem como mostrarão que a empresa se importa com as pessoas e está disposta a ajudar.

Além disso, é recomendado que a empresa realize programas in company que aliviem o estresse e ansiedade. E que promovam a saúde mental dos trabalhadores, como o plantão psicológico, a cão-terapia ou a arteterapia.

Proporcionar esta atenção à saúde mental é muito válida, pois muitas vezes o trabalhador começa a associar o ambiente de trabalho ao estresse e ansiedade – mesmo quando não há fatores estressantes ou ansiogênicos no ambiente, trata-se de um mecanismo inconsciente. Portanto, melhorar a saúde dele dentro da empresa favorece a visão dele de que a empresa é um lugar agradável e prazeroso – desvinculando a imagem da empresa ao estresse e ansiedade. Assim ele irá carregar essa impressão para a qualidade de seu trabalho e à produtividade!

Promoção da qualidade de vida no trabalho

A psicologia nas empresas tem um mérito irremediável: ela melhora a qualidade de vida no trabalho.

A psicologia enquanto ciência estuda o que adoece o organismo, bem como estuda o que fomenta o bem-estar e a saúde.

Um ambiente de trabalho de qualidade, tanto minimiza catalisadores de doenças e transtornos, quanto assegura condições para as pessoas desenvolverem o seu melhor.

Um exemplo disso pode ser constatado ao realizar a simples proposta de imaginação: imagine em quais condições você prefere e consegue trabalhar melhor.

Inevitavelmente esse ambiente que você imaginou, independente de qual for, você se encontrará em um estado mental favorável ao trabalho, certo?

Pois é desta forma que a psicologia nas empresas atua para promover a qualidade de vida no trabalho: favorecendo o estado mental das pessoas!

Isso requer estudos aprofundados do ambiente físico, das relações interpessoais, das rotinas de treinamento, da atuação dos líderes, da cultura organizacional, e outros fatores próprios de cada organização.

Dessa forma, é possível elaborar os melhores programas de qualidade de vida no trabalho e bem-estar, com o objetivo de impulsionar a empresa e ao mesmo tempo assegurar a saúde no trabalho.

Modelação de uma Cultura Organizacional propulsora

A psicologia lida com comportamentos. E todo comportamento acontece devido a um contexto.

Então, a psicologia também lida com contextos e ambientes – por isso também se ocupa de promover qualidade de vida no trabalho como exposto no item anterior.

O contexto universal da uma empresa, que influencia em todos os aspectos comportamentais é a cultura organizacional.

De modo a manejar comportamentos e incentivar atitudes positivas nas empresas, a psicologia tem ferramentas para modelar uma cultura organizacional.

A modelação de cultura organizacional é uma tarefa árdua, pois toda cultura pressupõe crenças e atitudes arraigadas. Porém, os planejamentos culturais realizados através da psicologia nas empresas têm grande eficácia.

Algumas empresas não necessariamente requerem mudança da cultura organizacional, mas podem precisar de simplesmente entender a cultura vigente de modo a facilitar a implementação de práticas e processos. Um bom exemplo disso é quando se inicia um novo ciclo de Planejamento Estratégico, entender a cultura para alinhá-la com o planejamento é essencial para ele ser bem sucedido.

Tenha em mente também que toda transformação na cultura implica em reeducação em todos os níveis da empresa – não só de líderes e gestores, mas esses têm papel especial no processo. A psicologia também pode ajudar na abertura e aprendizado de novos aspectos culturais.

Diminuição das taxas de absenteísmo e turnover

Já chegamos a um ponto deste artigo que já foram dados motivos suficientes para afirmar: a psicologia nas empresas ajuda a diminuir as faltas ao trabalho. Por quê?

Primeiramente falamos da prevenção de doenças e abuso de drogas. Ao prevenir esses quadros, consequentemente, os trabalhadores se ausentarão menos, pois não terão prejuízos à saúde.

Em seguida, foi abordada a qualidade de vida no trabalho. Qualidade de vida está relacionada ao bem-estar, certo? Então, se é gratificante e prazeroso estar no ambiente de trabalho, este é um excelente incentivo a para ser pontual e não se ausentar!

Além de ser um fator fundamental para reter os talentos em uma organização. Pois, as pessoas querem trabalhar em lugares que proporcionam qualidade de vida.

A qualidade de vida também desfavorece variáveis que colocam em risco a saúde. Programas de qualidade de vida eliminam essas variáveis do ambiente e criam incentivos concorrentes e poderosos que geram saúde. E também lembre-se que a ausência de enfermidades dos colaboradores significa maior assiduidade.

E depois da qualidade de vida, ao decorrer do texto, entrou em pauta a cultura organizacional.

Uma cultura organizacional positiva também é mais um incentivo para o colaborador querer estar no trabalho. Em uma cultura onde o trabalho é reconhecido e os relacionamentos interpessoais são respeitosos e construtivos, as pessoas querem estar.

Além disso, uma cultura como essa, está bastante favorável à inovação e produtividade, pois cria condições ótimas para as pessoas darem o máximo no trabalho.

Aumento da motivação e produtividade

O termo produtividade já foi mencionado diversas vezes durante este texto. É fato que psicologia nas empresas proporciona condições para a produtividade florescer.

Então é oportuno aprofundar um pouco mais no assunto. E ao falar de produtividade é prudente também discutir motivação.

Produtividade e motivação estão diretamente relacionadas – especialmente quando falamos de trabalho.

A psicologia é fundamental para promover autoconhecimento. O autoconhecimento é valorizado nas empresas, mas nem sempre esforços suficientes são colocados em prática para desenvolvê-lo.

Ao acompanhar o LinkedIn Pulse, vejo infinitos relatos de pessoas queixando-se de arrogância de chefes e falta de empatia dos colegas. Características como essas só podem ser mudadas depois de exercícios de autoconhecimento, pois toda mudança pessoal vem de dentro.

Portanto, não adianta uma empresa oferecer treinamentos para desenvolver lideranças se simultaneamente não promove, por exemplo, workshops de autoconhecimento.

Existe uma famosa citação do psicólogo norte-americano Carl Rogers que merece ser lembrada:

“O paradoxo curioso é que quando eu me aceito como eu sou, então eu mudo.”

Todos os treinamentos para desenvolvimento de pessoal nas empresas seriam muito mais bem aproveitados se fossem acompanhados de exercícios de autoconhecimento.

Uma boa palestra motivacional, por exemplo, faz algum tipo de apelo para as pessoas refletirem sobre como são no trabalho e incentiva o autoconhecimento. Isso é o que algumas pessoas chamam de inspiração – é a capacidade de perceber-se e ter clareza para as possibilidades de mudança.

Não existe abordagem melhor que da psicologia nas empresas para promover o autoconhecimento.

Resolução de conflitos interpessoais

Conflitos interpessoais são muito nocivos para qualquer equipe. As empresas perdem tempo e qualidade com eles. E nem sempre líderes e gestores tomam conhecimento de que existem conflitos, algumas vezes só mesmo quando procuram entender os motivos para uma equipe não ter conseguido bons resultados.

Pelo fato da psicologia estudar a interação do homem com o ambiente e as emoções, ela desenvolveu excelentes métodos para conciliar e mediar conflitos.

É um trabalho muito delicado e minucioso, pois em um conflito as emoções estão à flor da pele, e em situações como essa, a probabilidade da mediação ser mais destrutiva que construtiva é alta.

No entanto, quando o serviço é realizado por um profissional da psicologia, esta probabilidade decresce acentuadamente.

Existe também a possibilidade de prevenir conflitos. Uma dessas formas é treinar líderes e colaboradores para emitir feedbacks. Quando as pessoas não conseguem dar retornos adequados aos colegas, climas desfavoráveis vão sendo cultivados.

E no momento que o conflito se instaura e o líder consegue percebê-lo, é recomendável que a empresa realize uma Pesquisa de Clima organizacional. Esta pesquisa fornecerá insumos para traçar ações que diminuam os conflitos interpessoais.

A psicologia tem ótimas bases para traçar esses planos.

Condicionar um ambiente para inovação e crescimento

Enfim, ao seguir estas orientações da psicologia nas empresas, são geradas condições no ambiente de trabalho para inovação e crescimento.

O organismo humano pode emitir respostas deliberadas ou autônomas, isto é, algumas coisas você escolhe outras nem tanto.

Um exemplo disso é quando você está sofrendo por estresse. As emoções parecem mais a flor da pele, a atenção lhe escapa, o raciocínio parece limitado, não é? Estas são respostas autônomas do organismo, e existe sentido nisso.

Quando o seu corpo mostra esses sinais, ele está te avisando que algo está errado na maneira como você vem lidando com o trabalho. E isso pode ter diversas razões, e a grande maioria delas poderá ser evitada se sua empresa seguir as orientações da psicologia nas empresas apresentadas aqui neste artigo.

As respostas autônomas são positivas, pois elas priorizam a saúde do organismo. No entanto, elas se antepõem sobre as respostas deliberadas – ou seja, você não conseguirá produzir ou ser criativo em um ambiente que não lhe proporciona condições de bem-estar.

Criatividade é essencial para conseguir inovar. Mas para isso os colaboradores precisam desfrutar de bem-estar. Você pode se aprofundar neste conhecimento lendo este artigo sobre a influência do bem-estar sobre a criatividade e inovação.

 

A psicologia nas empresas deve figurar entre as principais diretrizes para educação, capacitação e treinamento nas empresas. É de grande valor para líderes bem sucedidos e para a humanização no ambiente de trabalho.  Além de garantir a qualidade de vida no trabalho essencial para o desenvolvimento das tarefas.

Quer uma avaliação gratuita de como a psicologia nas empresas pode ajudar o seu negócio? Fale com um de nossos consultores!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Share This
Navegação