Produtividade no trabalho

A psicologia por trás da produtividade

A produtividade é um objetivo que muitas pessoas compartilham. Ser produtivo é uma qualidade muito desejável, pois está intimamente relacionada ao lucro e crescimento – seja de pessoas ou empresas.

Entretanto, muitas pessoas têm dificuldade para conseguirem ser mais produtivas. Mas não devem se sentir mal por isso ou se culpar. A produtividade muitas vezes é percebida de uma forma equivocada pela maioria das pessoas. Este texto tem o objetivo de dar um esclarecimento sobre isso.

Para você conseguir ser mais produtivo – ou aumentar a produtividade na sua empresa – você deve entender como a produtividade funciona! Nada melhor do que recorrer à psicologia humana para entender o que subjaz a produtividade – ou seja, as raízes do potencial produtivo.

Você verá neste artigo, as relações fundamentais entre psicologia e produtividade em formato de dicas. E ao final, terá maior clareza para conseguir elaborar melhores estratégias em direção à maior produtividade!

Este artigo é uma espécie de “Psicologia da Produtividade I”. Em breve publicaremos um conteúdo mais conceitual e especializado sobre o assunto – será como “Psicologia da Produtividade II”. Então acompanhe nosso Blog para não perder!

Vamos ao que importa agora!

Primeiramente, preste atenção à sua saúde mental

Algumas coisas precisam recorrentemente ser ditas e lembradas. Esta é uma delas! Lembre-se: você não funciona como uma máquina. Você é um ser humano!

Como organismos complexos temos necessidades básicas que devem ser priorizadas em detrimento de atitudes que, teoricamente, nos tornariam mais produtivos. Em suma, as necessidades básicas mais importantes são a saúde física e mental!

A saúde é condição primeira para você conseguir ser mais produtivo. Preste atenção principalmente no seu condicionamento mental. O cérebro representa apenas 2% da massa corporal, porém consome em média 20% das calorias do corpo. É o órgão que sente primeiro as extensivas cargas de trabalho diário, apesar da maioria das pessoas não perceber como o cérebro sofre consequências reais.

O cérebro é responsável pelo raciocínio, decisões e foco de atenção. São faculdades mentais intrinsecamente ligadas à capacidade de produzir e trabalhar! Portanto, privilegie sua saúde mental durante o ato de trabalhar, pois o comprometimento dela significa risco severo à produtividade.

A forma como você dá pausas e descansa também faz diferença

Pensando na qualidade da saúde mental para as atividades, é plausível darmos pausas para descansar. Seja um break de um minuto ou de um dia inteiro.

Permita-se pausas constantes. As pausas são estratégicas para a produtividade! A qualidade do seu trabalho vai caindo progressivamente após longos períodos de foco de atenção às tarefas.

Mas não faça pausas que possam encher seu cérebro com mais eventos que levarão ao desgaste mental. Por exemplo, é comum ver as pessoas fazendo pausas e se ocupando de interagir com seus smartphones. Dificilmente este hábito irá realmente descansar o cérebro.

Outro exemplo é, no horário de almoço, não reservarem ao menos 5 minutos para uma pequena meditação. Em termos da psicologia, a meditação pode ser entendida como o Retraimento do organismo. Este conceito diz respeito ao movimento da consciência para si mesmo, para perceber e sensibilizar-se às suas necessidades pessoais. Este movimento é essencial para colocar os pensamentos em ordem e tranquilizar mente e corpo.

A produtividade deve ser uma consequência, não um objetivo

Este é um erro muito comum e de caráter cíclico. As pessoas bolam e aplicam táticas para conseguirem ser mais produtivas. E acabam não conseguindo, pois não existe caminho linear para produtividade – a produtividade é uma consequência de múltiplas causas.

A produtividade deve ser entendida como a repercussão de todo um sistema complexo. E sistema busca o bem-estar do organismo – a produtividade é consequência disso. O bem-estar é condição para a produtividade! E esse bem-estar é multifatorial, ou seja, tem diversas influências dinâmicas e concomitantes.

O bem-estar é alcançado quando você se coloca como prioridade ao se deparar com um mundo que nunca pára e cheio de exigências – assim como o que a gente vive.

O seu objetivo deve ser seu bem-estar! Entenda o que está influenciando-o. Podem ser diversos fatores, por exemplo, uma situação de vida estressante, uma condição fisiológica ou uma preocupação com um ente querido.

Empresas podem minimizar os impactos da diminuição da produtividade com ações que regulem o bem-estar no trabalho. Por exemplo, implantando o plantão psicológico ou a terapia in company com cães.

Entenda a procrastinação – resistir é inútil

A procrastinação é uma grande inimiga da produtividade. De forma geral, as pessoas tentam enfrentar a procrastinação com mais produtividade ou resistindo aos hábitos associados à procrastinação – por exemplo, evitando acessar redes sociais.

Isso pode até funcionar inicialmente. Entretanto, a longo prazo, a procrastinação será vitoriosa sobre sua vontade de produzir.

O que deve ser feito para melhorar esta questão vai a contragosto do senso comum de que você deve resistir à procrastinação. Você deve, na verdade, procurar entender o significado desta procrastinação. Desta forma, você toma consciência dos fatores relacionados aos eventos procrastinadores, e assim empodera-se sobre eles.

Considere o seguinte: se você não está conseguindo ser tão produtivo como gostaria, será que não é seu cérebro pedindo por uma pausa ou variação de atividades? É impossível vencer o órgão que comanda o potencial produtivo.

Ou talvez não consiga tirar da cabeça outra questão de vida não relacionada à tarefa, e é recomendável que você pare por uns 30 minutos para pensar e refletir a respeito. Assim você conseguirá retomar sua atividade com melhor foco. Um exemplo disso é o seguinte: você tem um problema na família. Sabe que não adianta perder tempo com isso, e precisa se dedicar ao trabalho. Mas é bem difícil não é? Isso acontece porque você se importa e sua família é significativa para você. Não adiante resistir a este pensamento. Você ganhará mais se pausar para refletir ou conversar com alguém de confiança a respeito do que resistir. Lembro do clássico caso de eu pedir, por exemplo, para você não pensar em maçã. Não pense em maçã! Conseguiu não pensar em maçã?

A procrastinação não deve ser considerada uma inimiga, mas sim um sinal benigno de algo maior do que a atividade que você está tentando produzir, e, portanto, requer sua atenção. Desta forma, você conseguirá ser mais produtivo em seguida. E ainda toma conta de sua saúde mental, e não desgasta o seu cérebro com a luta da resistência.

A produtividade em um processo humano dinâmico e não estático

A produtividade não é um estado que você alcança uma vez e pronto: será eternamente produtivo. É um processo maleável, e as exigências para você conseguir ser produtivo vão se transformando.

Existem diversas fórmulas disseminadas na nossa cultura que prometem produtividade às pessoas. Nenhuma irá resolver para sempre os seus problemas. Seres humanos são organismos em constante evolução, é a natureza da vida. Seres humanos são processo! Não são seres imutáveis – e que bom que não somos!

Temos a capacidade de superar desafios e vencer as dificuldades aprendendo coisas novas e transformando a nós mesmos. Isso é mutabilidade e processo!

Portanto, ser produtivo é um processo em contínua transformação. Você deve entender a si mesmo, pois assim entende como as dificuldades o estão afetando. E assim supera as barreiras impostas ao seu potencial produtivo.

O autoconhecimento é essencial para conseguir ser mais produtivo e não ser desestabilizado por questões externas a você. É claro que problemas aparecem e podem afetar a produtividade. No entanto, se você dedica-se ao autoconhecimento, você saberá o que funciona melhor para você conseguir superar esses problemas! E, assim, conseguir voltar ao trabalho de forma saudável.

Uma forma excelente de proporcionar autoconhecimento é a Arteterapia.

 

Estas condições psicológicas são fundamentais para se pensar a produtividade. Para qualquer plano de produtividade que você aplique, considere sempre estes pontos. E garanto que o seu potencial produtivo irá deslanchar.

Gostou deste artigo? Tem mais insights sobre a Psicologia por trás da Produtividade? Deixe nos comentário e compartilhe nas redes sociais!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Share This
Navegação