plano-de-carreira-o-que-a-empresa-deve-considerar-ao-crialo.jpeg

Plano de carreira: o que a empresa deve considerar ao criá-lo?

Atualmente, as oportunidades de crescimento ganham cada vez mais peso quando os profissionais avaliam uma empresa. Portanto, não é à toa que possuir um plano de carreira se tornou uma necessidade.  Esse planejamento modifica a relação entre empregador e empregado, que deixa de ser uma mera questão de compra e venda de serviços e passa a permitir a evolução das duas partes.

Consequentemente, há um grande impacto na motivação dos funcionários, uma vez que a organização passa a cuidar dos interesses de seus colaboradores.  Além disso, ocorre uma influência positiva em outros indicadores de RH, como turnover, absenteísmo, desempenho, retenção de talentos, tempo médio na empresa etc. 

Continue lendo o texto de hoje para saber o que levar em conta na hora de elaborar um plano de carreira e obter resultados significativos na sua equipe! 

Escolher a trilha de carreira 

As empresas adotam soluções diferentes em relação à estrutura do plano de carreira. Os três modelos mais frequentes são estes: 

  • carreira linear, em que o progresso ocorre em direção a cargos de chefia e liderança; 
  • carreira em Y, em que o profissional pode escolher entre os cargos administrativos ou progredir em direção a funções relacionadas à especialização técnica; 
  • carreira em W, em que os cargos mesclaram funções de liderança e especialização técnica. 

Para realizar uma boa escolha, é preciso compreender o perfil dos profissionais da organização, buscando se distanciar dos modelos lineares sempre que as competências técnicas prevalecerem na equipe.

Definir critérios de promoção 

O plano de carreira é baseado na ideia de regras conhecidas para o crescimento profissional, bem como por uma avaliação mais objetiva da situação de cada colaborador. 

Por isso, você deve buscar o máximo de eficiência na hora de definir os critérios para promoção e progressão. Eles devem consistir em uma mescla de diversos fatores, como metas individuais e coletivas, permanência na empresa, qualificação técnica e afins.  

Estabelecer avaliações periódicas 

Além de fixar critérios, a empresa tem de acompanhar o desempenho do profissional — afinal, é só com avaliações periódicas que é possível saber quem, de fato, merece um promoção. 

Vale ressaltar que esse procedimento é igualmente importante para os colaboradores, visto que os feedbacks possibilitam uma adequação de postura e melhor desempenho em futuras verificações. 

Investir em treinamentos 

É importante que as empresas não se limitem a fazer exigências, mas contribuam para promoção do colaborador. Trata-se de criar um ambiente favorável ao crescimento profissional. 

Sendo assim, considere planejar treinamentos, seja para melhorar o desempenho nas atividades atuais dos colaboradores ou para habilitá-los a exercer novas funções. 

Procurar uma consultoria especializada 

Além dos pontos mencionados, encontrar o modelo ideal pode exigir conhecimento especializado e, principalmente, experiência para descobrir o formato mais adequado às características da organização. 

No entanto, muitas vezes, os gestores não atuam especificamente nessa área e, por esse motivo, não dominam plenamente as boas práticas para estruturar a progressão dos colaboradores. Além disso, uma consultoria tem experiência com empresas de diversos formatos e áreas de atuação, e este know-how possibilita estruturar o melhor plano para sua empresa.

Por isso, é recomendável que você busque uma consultoria especializada para desenvolver um plano de carreira capaz de atender às expectativas e melhorar os indicadores de RH. 

Para conhecer esse serviço, entre em contato com a nossa equipe e encontre a solução ideal para os profissionais da sua empresa.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Share This