fofoca no trabalho

Fofoca no trabalho: o que fazer para combater?

A fofoca no trabalho é uma grande inimiga dos relacionamentos interpessoais e, portanto, do desempenho das pessoas. Quando os colaboradores (ou até mesmo líderes) se ocupam das fofocas, contribuem para diversos problemas, como:

  • O desvio do foco de atenção do trabalho;
  • Denegrimento ou desqualificação da imagem de algum colega;
  • Desvirtuação de informações e acontecimentos;
  • Afastamento do foco que deveria ser direcionado à solução de problemas;
  • Informalização desconstrutiva da comunicação;
  • Empobrecimento da cultura organizacional.

Todas essas questões acima contribuem negativamente para a organização e também para o desenvolvimento das pessoas. Um dos desafios é: nem todas as pessoas adeptas das fofocas estão conscientes de que a estão praticando, e muito menos percebem as consequências adversas de fofocar.

Pensando nisso, a EIDEA elaborou este artigo para ajudar você a identificar e principalmente combater este fenômeno social nas empresas que empobrece os relacionamentos interpessoais e diminui a produtividade.

Leia a seguir as nossas dicas:

1 – Capacite os líderes em escuta

Uma das possíveis causas da fofoca entre colaboradores é que os líderes não tem abertura para diálogo, assim as pessoas buscam alternativas para opinarem, reclamarem ou comentarem, e essas alternativas acabam muitas vezes sendo os colegas de trabalho.

Isso pode gerar conversas que distorcem informações e geram mais insatisfação entre os colaboradores.

Por isso, os líderes devem ser capacitados para saber escutar ativamente e descer do pedestal para dialogar com os colaboradores. Ouvindo reclamações, dúvidas, comentários e sugestões. E é importante que o líder saiba valorizar que os colaboradores busquem por ele para conversar.

 

   

Com o e-book Psicologia para Líderes, você aprenderá tudo que precisa para

ser um líder bem-sucedidoClique aqui para baixar o e-book gratuitamente!

   

2 – Incentive a transparência para evitar a fofoca

É importante ter transparência para evitar especulações e construção de histórias tortuosas ou falsas. Comunicação e informativos assertivos minimizam muito as fofocas.

Meias verdades e comunicados limitados que só despertam a curiosidade dos colaboradores estimulam fofocas. Por isso é importante que sua empresa seja transparente a respeito de informações estratégicas da empresa e as estruturas organizacionais.

Assim, se alguma conversa surgir na empresa, ela será baseada nos devidos fatos verídicos. Isso estimula o engajamento dos colaboradores com a empresa, na medida em que permite a contribuição dos mesmos com soluções para os desafios enfrentados.

3 – Faça uma boa integração de novos colaboradores

Também conhecida como ambientação, tutorização organizacional ou treinamento introdutório, a integração de novos colaboradores é um processo obrigatório para ingressar novos trabalhadores na empresa.

Uma integração informativa e transparente também é uma excelente forma de minimizar as fofocas no trabalho. Ao esclarecer todo o funcionamento interno, competências desejadas, apresentar devidamente a filosofia da empresa, ficam estabelecidas claras diretrizes de comportamentos adequados para os novatos. Bem como todas as informações necessárias para ele saber sobre a organização.

4 – Tenha métodos para gerir cultura e comportamentos

A fofoca é um comportamento humano. Todo o comportamento humano que é frequente e se mantém, tem algo que o fortalece. Isto quer dizer que se há fofoca no seu ambiente de trabalho, é porque as pessoas que a praticam estão ganhando algo com este comportamento. Você pode entender melhor sobre comportamento humano neste artigo sobre behaviorismo em organizações.

Uma empresa que realiza gestão da cultura e dos comportamentos organizacionais, minimiza fortemente as fofocas. Ao estabelecer estes métodos de gestão da cultura, os comportamentos desejáveis para o crescimento da organização e desenvolvimento profissional dos colaboradores são incentivados. E comportamentos indesejados, como a fofoca, vão cada vez mais perdendo força.

É interessante que sua empresa tenha métodos de gestão da cultura que sejam baseados em ciência do comportamento.

5 – Faça pesquisas de clima regularmente

Quase sempre, as fofocas têm emoções envolvidas. Uma emoção ou sentimento sobre algo pode evocar comentários e reclamações, bem como ser o combustível de toda uma rede de fofocas.

Quando abordamos emoções das pessoas sobre o ambiente de trabalho ou sobre a empresa, devemos falar necessariamente sobre clima organizacional.

Quando uma empresa não tem um processo para receber críticas e sugestões, as pessoas buscam por outras formas de comunicar suas opiniões e desabafar. A mais provável “solução” para a vontade de falar é a fofoca.

Considere uma empresa terceirizada para realizar as pesquisas de clima. Pela nossa experiência em consultoria, os colaboradores têm muito mais estímulo para falar e desabafar quando não é alguém da própria empresa realizando entrevistas e questionários da pesquisa de clima.

6 – Desenvolva Inteligência Emocional nos colaboradores e líderes

Como dito anteriormente, as emoções estão quase sempre envolvidas no surgimento e no processo da fofoca. As emoções mobilizam fortemente os comportamentos das pessoas.

Como uma opção para treinar habilidades comportamentais e emocionais nas pessoas – para que não precisem de recorrer à fofoca para interagir ou confrontar os problemas –, a empresa pode realizar palestras, workshops e sessões de coaching para desenvolver inteligência emocional de líderes e colaboradores.

Dessa forma, as pessoas conseguirão lidar melhor com a influência das emoções em atitudes e decisões. E, como consequência disso, saberão escolher comportamentos mais construtivos do que a comunicação distorcida (fofoca) para superar os desafios do trabalho.

 

Em última instância, sua empresa pode considerar medidas mais drásticas. Já vi casos da empresa identificar que um único colaborador estimulava as fofocas e prejudicava o ambiente de trabalho. Sendo assim, o desligaram da empresa e o ambiente acabou tornando-se muito melhor, beneficiando empresa e os outros colaboradores. Acredito que uma medida utilitarista como esta deve ser evitada, mas se for o caso, a empresa tem autorização para adotá-la. Antes de demitir o colaborador, obviamente a empresa deve procurar conversar e estruturar feedbacks. Caso o diálogo não seja efetivo, o desligamento torna-se a melhor opção. Leia aqui um manual para emitir feedbacks eficazes.

Com estas dicas sua empresa deverá conseguir combater a fofoca no trabalho de forma eficaz. Gostou das ideias deste artigo? Inscreva-se na nossa newsletter para receber gratuitamente dicas semanais sobre psicologia organizacional.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Share This
Navegação