saiba-o-que-e-behaviorismo-nas-organizacoes.jpeg

Saiba o que é behaviorismo nas organizações

Se a sua função é motivar os seus colaboradores e trabalhar sempre em busca de mais produtividade e bons resultados, pare tudo o que estiver fazendo e preste muita atenção neste post: você precisa compreender o behaviorismo nas organizações.

Com tantas variáveis imprevisíveis no ambiente de trabalho, você sabia que o comportamento do seu funcionário pode ser modificado? Por isso, cada vez mais, as empresas contratam psicólogos para compor o quadro de funcionários do RH (Recursos Humanos).

Disciplina, organização, responsabilidade, motivaçãoprodutividade e disposição são alguns fatores que diferenciam uma boa equipe de outra ruim.

Quer saber como estimular essas principais características e ainda ver seu time feliz? Continue a leitura e descubra os motivos para estudar o comportamento das pessoas e contratar profissionais qualificados!

O que é behaviorismo

A origem da palavra vem do termo behavior, que, quando traduzido, nada mais é do que conduta ou comportamento.

Sendo assim, comportamentalismo e behaviorismo são duas nomeações diferentes de uma das mais importantes áreas da psicologia: o comportamento como próprio objeto de estudo.

No geral, esse objeto de estudo é determinado por dois fatores: estímulos e respostas, que logo em seguida serão investigados por meio de todos os métodos utilizados pela chamada análise de comportamento.

Com um campo tão amplo de atuação, esse ramo da psicologia é dividido em 4 tipos. Confira:

1. Behaviorismo clássico

Segundo essa linha de pensamento, o comportamento de uma pessoa pode ser definido por toda e qualquer alteração observada após um estímulo anterior. O comportamento foi estudado como reflexo de alterações no ambiente.

Dessa forma, tudo o que acontece é uma reação a algum estímulo em questão.

2. Behaviorismo lógico

Esta vertente também é conhecida como behaviorismo filosófico ou behaviorismo analítico, e concebe que os comportamentos podem ser explicados por pré-disposições mentais.

Essa corrente contradiz o estilo clássico, pois, de acordo com os estudiosos do behaviorismo lógico, toda resposta comportamental após um estímulo já existia na mente da pessoa.

3. Behaviorismo metodológico

Aqui, a teoria é de que o comportamento de uma pessoa é restrito à resposta pública, pois só estuda-se as respostas comportamentais que possam ser observadas nitidamente, excluindo-se todos os comportamentos privados.

4. Behaviorismo radical

O diferencial desse estilo para os demais é que não se restringe o estudo do comportamento pelo alcance de um determinado método experimental, mas engloba-se todos os comportamentos humanos.

O behaviorismo radical compreende a função dos comportamentos em termos da relação organismo-ambiente, portanto, todos os comportamentos, emoções, sentimentos, atitudes são passíveis de modificação.

Análise do comportamento dos trabalhadores

Quando aplicado às organizações, o behaviorismo é responsável por estudar as interações entre o trabalhador e o ambiente e, da mesma forma, as ações do indivíduo (suas respostas) de acordo com o ambiente em que trabalha (os estímulos).

Baseando-se no behaviorismo, é possível afirmar que as empresas são um todo colaborativo, em que cada integrante possui uma função específica, além de tarefas e deveres a serem cumpridos.

Ainda segundo essa teoria, existem 3 recompensas pelas quais os funcionários exercem corretamente suas delegações:

  1. Recompensas pessoais provenientes dos objetivos da empresa — tendo como exemplo os clientes participativos que relacionam suas funções com o produto final ou para a prestação de serviço.
  2. Recompensas pessoais oferecidas pela organização de acordo com seu desenvolvimento ou relevância — exemplo clássico dos acionistas de uma empresa.
  3. Recompensas pessoais sem relação direta com o desenvolvimento da instituição e que variam conforme os incentivos econômicos e psicossociais — situação bem ilustrada pela participação dos assalariados.

Para compreender melhor esse conceito e propiciar um crescimento profissional e pessoal, entenda o comportamento do trabalhador como resultado de dois tipos de intervenção: condicionamento operante e condicionamento respondente. Aprenda a diferenciá-los ao analisar seus funcionários:

1. Condicionamento Respondente

É simplesmente uma resposta reflexa ao estímulo que acontece no instante, de forma involuntária. Um bom exemplo é o ato de fechar os olhos ao estar em frente a uma luz forte ou lacrimejar ao cortar uma cebola.

2. Condicionamento Operante

Essa classificação corresponde ao costume gerado por uma ação corriqueira do funcionário. Para exemplificar melhor, pense no gesto que você faz ao se despedir de uma pessoa ou nos toques que dá no teclado enquanto digita: essas duas atividades ilustram perfeitamente.

   

Com o e-book Psicologia para Líderes, você aprenderá tudo que precisa para

ser um líder bem-sucedidoClique aqui para baixar o e-book gratuitamente!

   

Condicionamento de seres humanos

Segundo estudos e conceitos behavioristas, com o passar do tempo e sem a alteração de suas tarefas, os funcionários ficam propensos a agir e a trabalhar de forma mecânica.

Por isso, tantos funcionários não conseguem inovar no trabalho, pois o ambiente é sempre o mesmo, então, o comportamento deles não precisa mudar para cumprir suas tarefas.

Estímulos reforçadores

Nesse grupo conceitual, existem dois tipos de estímulos reforçadores: os positivos (no sentido de adição no ambiente) e os negativos (com a ideia de retirada).

Como exemplos do primeiro, estão a água que cai quando a torneira é aberta e as risadas que uma piada que você conta provoca; já nos reforçadores negativos temos a ausência de barulho quando você pede alguém para falar mais baixo, e o de retirar o dedo da tomada após levar um choque.

Agora que você já sabe as principais informações sobre o conceito de behaviorismo, precisa conferir alguns fatores avaliados individualmente ou em grupo:

  1. Excesso de faltas e o impacto delas para o restante dos funcionários;
  2. Desempenho e entrosamento em atividades de equipe;
  3. Nível de participação nos projetos da empresa;
  4. Postura colaborativa individual e em grupo;
  5. Capacidade de adaptação e resistência sobre as transformações do ambiente de trabalho;
  6. Individualismo e o ato de denegrir colegas de trabalho;
  7. Inflexibilidade e facilidade para expor assuntos confidenciais da empresa;
  8. Abertura aos novos desafios e propostas;
  9. Comprometimento para alcançar os resultados almejados;
  10. Motivação, engajamento, inovação e criatividade para propor novas soluções para os mesmos problemas e dilemas;
  11. Inteligência emocional, comunicação e profissionalismo;
  12. Turnover (percentual de rotatividade).

Viu só como é fundamental estudar e entender o comportamento dos seus funcionários para aplicar os melhores processos de gestão?

O que difere um bom líder é sua capacidade de prever e evitar problemas individuais e coletivos dentro do seu negócio. E a melhor ferramenta para você avaliar cada comportamento é o behaviorismo.

Quer aprender a se destacar e a garantir qualidade de vida, saúde e bem-estar aos seus colaboradores? O behaviorismo nas organizações é a escolha perfeita. Siga nossas redes sociais (Facebook e Linkedin) e tenha sempre informações atualizadas!


Inscreva-se na nossa Newsletter!

* campos obrigatórios
 

Cadastrando-se você receberá semanalmente em seu e-mail conteúdos sobre motivação e muito mais!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Share This
Navegação