cultura organizacional

Cultura Organizacional: A importância da Consultoria Externa

O conteúdo deste texto é um pouco denso. No entanto, ele te ajudará a repensar a forma como você entende o conceito de Cultura Organizacional. A finalidade disso é abrir sua mente para novas formas de lidar e gerir a Cultura em sua Empresa – e impulsionar seu negócio a partir dela.

Então vamos lá!

Às vezes me pergunto se o termo Cultura Organizacional é redundante. Ora, sei que se refere à Cultura de uma Corporação, Empresa ou Instituição. Todas têm suas formas de se organizarem para um fim, portanto são consideradas Organizações.

E a Cultura? Esta pode ser entendida como uma série de regras que constituem uma ordenação social, e a partir dela as pessoas constroem suas crenças sobre a organização e orientam suas atitudes e relacionamentos dentro dela – sendo que são crenças e atitudes compartilhados por todos. Se todos compartilham e seguem este eixo em comum, se organizam por ele. Portanto, a cultura é uma forma de organização.

Seria a Cultura Organizacional, então, a Organização da Organização? É uma pergunta simples, porém filosófica. Acho importante questionarmos os conceitos de vez em quando. A partir de questionamentos abrimos novos horizontes de crescimento, e não nos acomodamos. 

Para responder a esta pergunta filosófica, levo em consideração a exposição do início do texto. A resposta: Sim, a Cultura Organizacional é a Organização da Organização. Pois é a partir dessa ordenação geral – cultura – que as pessoas de uma empresa se orientem e se alinham para colaborar e possibilitar o fim da empresa – serviço, produto, etc.

Pensar a Cultura Organizacional como você sempre pensou está ajudando?

Veja o que fiz até aqui neste texto: realizei uma exploração da semântica do termo Cultura Organizacional – não fiz isso de forma despropositada. Veja a seguir como essa troca semântica pode ajudar você:

Vou te pedir uma pequena coisa agora: pense no termo Cultura. O que ele significa para você? Agora pense no termo Organização. Qual o sentido deste termo para você?

Obviamente têm significados diferentes, não é?

Se eu te pedir para descrever a organização da sua empresa, provavelmente obterei uma resposta sobre como as pessoas e os processos se organizam internamente. E você se baseará em dados que você observa no cotidiano. Por exemplo: você me contará o que é preciso para aprovar um projeto, me contará sobre a frequência de reuniões, a efetividade do trabalho em equipe, a prontidão para entregar um determinado produto ou serviço, etc. E se eu perguntar para outra pessoa da sua empresa, provavelmente obterei uma resposta semelhante, porém não será idêntica.

Por outro lado, se eu te pedir para descrever a cultura da sua empresa, provavelmente obterei uma resposta descritiva da sua percepção sobre a consistência cotidiana da sua empresa. Você me contará das relações interpessoais, do reconhecimento do trabalho, das competências esperadas, dos valores e filosofia, etc. A resposta sobre a cultura está mais suscetível para a subjetividade da pessoa interferir.

Vou esclarecer o que quero dizer com subjetividade.

Por exemplo, como falar de relacionamento interpessoal, de forma imparcial, se você está (afetivamente) envolvido cotidianamente neles? Como falar dos valores, se todo mundo tem os seus próprios valores. E suas percepções individuais interferem na forma como você colabora com a Cultura Organizacional.

As ideias centrais que quero transmitir:

  • Toda resposta que um funcionário me der sobre a empresa que trabalha, terá interferências subjetivas;
  • Toda resposta também terá interferências da Cultura Organizacional que ele se insere;
  • A subjetividade do colaborador, interfere na Cultura;
  • Para entender a Cultura devemos estudar o que é objetivo à percepção e o que é subjetivo também;
  • Colaboradores e Gestores são parciais para analisar a Cultura. Portanto, contagiam mudanças benéficas na Cultura com suas parcialidades;
  • CONCLUSÃO: Consultorias externas são mais indicadas para analisar a Cultura Organizacional de sua empresa. E transformá-la!

Novo entendimento sobre Cultura: novos horizontes para gerenciá-la

Olha como a simples reflexão sobre o termo Cultura Organizacional – e aplicação do nome organização da organização – trouxe uma valiosa reflexão.

A Cultura Organizacional é determinante para o sucesso de uma empresa, portanto, gestores devem ser especialistas neste assunto. Repensá-la constantemente. E, o mais importante: Devem entender profundamente a cultura de suas empresas.

Para isso, devem dirigir-se às pessoas de suas empresas para investigar a Cultura. Conversar com elas, realizar entrevistas. Os funcionários carregam em suas percepções individuais as peças necessárias para você montar o quebra-cabeça da cultura organizacional.

E recomendo ir além disso para garantir a qualidade do estudo sobre a cultura: recorra a uma consultoria externa para trazer uma perspectiva diferenciada e de alta qualidade. O olhar imparcial e treinado de quem não vive o cotidiano da empresa, é contribuição imprescindível para uma empresa conseguir implementar uma cultura de alta performance.

E mais: Os funcionários falam com maior transparência e menos resistência, para quem é de fora da empresa. Pois entendem que não haverá qualquer tipo de consequência para o conteúdo que forem expressar ao entrevistador.

Muitas empresas só percebem os prejuízos que uma Cultura Organizacional disfuncional pode trazer quando ela já está em voga. Não permita que sua empresa enfrente os percalços. Comece agora a estudar a Cultura Organizacional de sua empresa!

Nós também podemos ajudar! Fale com um de nossos consultores!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Share This
Navegação