princípios que todo líder deve seguir

8 Princípios que todo líder deve seguir

Será que existem regras universais que todo líder deve seguir? Nossa opinião é que NÃO há nada como isso. Mas, ora, então esta visão é incoerente com o título? Não! Pois o termo princípio difere-se do termo regra. Existem princípios que todo líder deve seguir para ser uma liderança eficaz, e neste artigo iremos enumerar oito deles que conseguimos identificar de nossa experiência.

A diferença fundamental entre regra e princípio, na nossa visão, é que na regra existe um comando a ser seguido, como uma espécie de verdade absoluta exata que não dá espaço para vieses e adaptações. Já no princípio não existe uma verdade intrínseca, mas existe uma orientação que serve para diversos contextos, diferentemente da regra, que é uma instrução específica não importando o contexto. O princípio dá espaço para sermos criativos e irmos modelando o aprendizado para nossa própria realidade.

É por isso que líderes não devem sair replicando modelos que descobrem e leem na internet. É necessário analisar, a partir de seu próprio contexto, e adaptar a regra e, assim, entendê-la como orientação.

O primeiro princípio tem relação com isto que estamos falando. Leia a seguir:

1 – Encontrar seu próprio estilo de liderança

Todo líder tem seu estilo único de gerir pessoas. Por mais que um líder tente seguir mandamentos de liderança de Jorge Paulo Lehman ou Vicente Falconi, ele sempre terá algo que é propriamente dele!

Portanto, leia muito, aprenda com cases de sucesso, mas não tente replicar experiências de outras empresas ou líderes integralmente. Veja o que cada conhecimento tem de útil para você, saiba o que deu certo e selecione aprendizados – use o que mais fez sentido para você ou o que você mais se identificou.

Potenciais humanos são ativados quando fazem sentido com o nosso próprio projeto de crescimento pessoal.

2 – O líder se faz no cotidiano

“Conheça todas as teorias, domine todas as técnicas, mas ao tocar outra alma humana seja apenas outra alma humana”.

Esta é uma famosa citação do psiquiatra suíço Carl Gustav Jung, criador da Psicologia Analítica.

Ela vale muito para líderes! Sabe por que?

Você, enquanto líder, pode ter todas as melhores ferramentas para te ajudar a obter os melhores resultados ao gerir pessoas, mas nunca poderá escapar dos momentos de relacionamento interpessoal com os colaboradores da sua empresa. Neste momento, vocês serão duas pessoas que trabalham juntas para um objetivo em comum e que tem várias qualidades e limitações.

Então, tenha sempre em mente que o relacionamento que você estabelece no dia-a-dia com seus liderados definirá em grande parte se eles serão produtivos, motivados, engajados e se trabalharão com qualidade.

3 – Tudo começa com autoconhecimento

Defendemos recorrentemente aqui no blog que autoconhecimento é uma conquista processual – que traz só benefícios para líderes, empreendedores ou colaboradores.

É processual, pois é um exercício diário, quanto mais amplo for o conhecimento sobre si mesmo, melhores serão os relacionamentos interpessoais, a produtividade e a liderança de uma pessoa.

Até mesmo para conhecer a Cultura Organizacional da empresa e as implicações dela para os resultados, é recomendado que o líder também trabalhe para adquirir autoconhecimento, pois a cultura é um reflexo das atitudes e crenças de fundadores e gestores.

Portanto, nunca despreze o poder do autoconhecimento. Ele sempre será um aliado para sua competência enquanto líder.

4 – Privilegiar recompensas e não punições

Temos um texto no blog dedicado exclusivamente a este tópico, você pode acessá-lo aqui.

O líder tem papel decisivo no desenvolvimento de pessoas. A participação do líder na equipe deve prestar este suporte para as pessoas crescerem e assim sentirem-se mais realizadas com o trabalho e a empresa ter retorno com seus investimentos.

De fato, a melhor forma de aprendizagem, segundo as ciências comportamentais, são os chamados reforços. As punições não ensinam muita coisa para as pessoas, pelo contrário, elas criam ambientes hostis e tensos entre os colaboradores, que passam a não confiar tanto no líder.

Veja como você pode fazer isso, lendo o artigo citado anteriormente.

5 – Comunicar-se com clareza

Muitos problemas dentro das empresas poderiam ser evitados se as pessoas se comunicassem melhor.

Não é obrigação do outro entender o que você quer dizer, mas é sua obrigação transmitir com clareza a mensagem que quer que o outro receba.

Líderes que se comunicam com clareza e assertividade otimizam o desempenho dos colaboradores. Comunicar-se efetivamente implica também em ouvir. Um exemplo simples disso é quando um líder dá uma instrução e no final faz a famosa pergunta: “Alguma dúvida? Pode me perguntar!”. Não adianta também falar de forma ligeira e afobada, pois você estará inibindo o colaborador a dialogar com você – assim como acontece em vários outros contextos com as pessoas, não só no trabalho.

Em qualquer empresa, não importa o setor ou tamanho, a comunicação do líder com os colaboradores é determinante para o bom andamento dos trabalhos.

6 – Promover a qualidade do ambiente de trabalho

O ambiente é fundamental para a motivação e produtividade. Isso inclui o clima organizacional, os aspectos físicos e o bem-estar dos colaboradores.

O líder deve estar sensível e perceber os fatores ambientais que prejudicam o trabalho. Por isso, deve ser função do líder realizar intervenções no ambiente quando necessário.

Seja para apurar se existem problemas de relacionamento ou para promover a qualidade de vida no trabalho que interfere diretamente na produtividade.

Ao fazer isso, o líder mostra que se importa com as pessoas, ao mesmo tempo em que potencializa os ganhos da empresa.

7 – Ser exemplo

O líder inevitavelmente serve de exemplo para os colaboradores. Os seres humanos, desde crianças, aprendem que seguir o comportamento de outras pessoas pode ser interessante para si mesmo. Nesse processo, o que é observável do comportamento dos outros é muito mais determinante para a aprendizagem do que os discursos e regras faladas.

Portanto, se um líder apresenta incoerência entre discurso e ação, os colaboradores provavelmente seguirão o exemplo que observam da ação dele. E o que ele pede verbalmente vai cada vez mais perdendo poder de influência.

O líder deve ter em mente que os colaboradores irão seguir o exemplo dado pelo seu comportamento, e, portanto, deve estar consciente do que faz, pois isso influencia na cultura e no desempenho das pessoas.

8 – Ser transparente

A transparência é fundamental para os colaboradores confiarem no líder.

Além disso, quando a liderança retém muita informação e não a compartilha, pode ocasionar fofocas que atrapalham a produtividade.

O líder que compartilha os desafios enfrentados com os colaboradores, não só terá maior confiança da equipe, como estará dando a oportunidade de se desenvolverem profissionalmente, pois participarão da busca por soluções.

 

Estes princípios baseados em conhecimentos da psicologia têm a intenção de serem úteis para qualquer líder de qualquer empresa. Pois se fundamentam em formas efetivas de desenvolvimento humano e de promoção de relações interpessoais construtivas.

Então, se você é um líder, confie nos conhecimentos e orientações fornecidos neste artigo. Garantimos que estes princípios servirão para melhorar a sua liderança e, por conseguinte, o trabalho de sua equipe!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Share This
Navegação