atitudes empreendedores evitar

8 Atitudes que empreendedores devem evitar

O sucesso de qualquer pessoa, não só de empreendedores, depende das ações que promove na sua vida e carreira. Os esforços são decisivos para conseguir realizar os sonhos e metas. Algumas vezes, certas atitudes e comportamentos podem ter o efeito contrário – de atrapalhar a jornada rumo ao sucesso. Portanto, são ações que empreendedores devem evitar para não repercutir negativamente no seu sucesso.

Pensando nisso, elaboramos esta lista de atitudes que devem ser evitadas por empreendedores, pois não trazem crescimento pessoal e profissional, e de fato empobrecem o repertório comportamental empreendedor.

Todos os itens foram baseados em algum conceito da psicologia para embasar o argumento a respeito do desenvolvimento humano envolvido no crescimento do empreendedor. Confira abaixo:

1 – Empreendedores que falam mais do que escutam

Todo o aprendizado humano acontece na interação organismo-ambiente. Nós, enquanto organismos, temos como ambiente qualquer coisa com a qual fazemos contato – seja um curso online, um acontecimento inusitado na rua, outras pessoas com as quais conversamos, etc. Qualquer coisa que não seja nós mesmos e que emerge a nossa consciência é ambiente. Assim como é postulado pela abordagem gestáltica da psicologia.

Uma pessoa que discursa em maior frequência do que escuta, está tendo menos oportunidade de aprender com o mundo do que uma pessoa que se permite escutar e apreender com os outros e a sociedade.

Escutar é fundamental para formular as melhores soluções para as dores das pessoas. E, assim, implementar um produto ou serviço que realmente seja desejado pelas pessoas e que assim permita o seu empreendimento a crescer.

2 – Desconsiderar o senso de self

A melhor comparação que alguém pode fazer para crescer é com si mesmo e com as próprias experiências. Quando alguém compara o próprio sucesso com o de outras pessoas, não está identificando as melhores referências para desenvolver-se.

Não é possível conhecer plenamente a história e o caminho percorrido por outra pessoa até onde ela está. Mas é possível perceber o que aconteceu na sua própria história para entender o seu processo. Tudo que você viveu até hoje, te levou ao que você é atualmente. O que você pode aprender com tudo isso?

Olhar para dentro é o melhor que alguém pode fazer para transformar a própria realidade, pois a sua vida está sob seu controle, mas a dos outros não. Então, por que perder tempo se comparando a outras pessoas?

O que então está influenciando na sua autoestima, autoconfiança, autoconsciência, etc.? O seu senso de self é imprescindível para o seu crescimento. Lembrando de uma citação de Carl Jung:

“Quem olha para fora sonha, quem olha para dentro desperta.”

3 – Seguir modelos de sucesso cegamente

Existem milhares de cases de sucesso e dicas milagrosas na internet para empreendedores aprenderem e se inspirarem. São bons como conteúdos para pegar algum aprendizado, se fizer sentido para você e você se identificar.

O que alguns empreendedores fazem algumas vezes – que é um grande erro – é tomar um case ou exemplo como regra a ser seguida. Fazer isso é escolher um caminho que não irá liderar à autorrealização e que irá estagnar o empreendedor.

Seguir modelos cegamente não funciona, pois o repertório comportamental de cada empreendedor é diferente – de qualquer ser humano é, segundo as ciências do comportamento. Então, o que outra pessoa fez para conseguir sucesso, era próprio de seu repertório. E o seu sucesso irá emergir a partir de sua própria caminhada!

Portanto, não siga cegamente outros modelos que já aconteceram, tente aprender com eles mas de modo a incrementar o seu repertório comportamental a partir do que você é hoje.

4 – Evitar falar sobre problemas e dificuldades

Muitos empreendedores evitam falar sobre os problemas que enfrentam – seja em nível pessoal ou profissional. Até mesmo os termos problema e dificuldade não são muito bem aceitos pela comunidade empreendedora. Muitas pessoas preferem o termo desafio.

Mas não importa a terminologia usada, se alguém tem um problema, evitar falar sobre ele ou encará-lo, não estará ajudando a resolvê-lo.

Falar sobre é diferente de reclamar. Ficar reclamando é, na maioria das vezes, pouco construtivo, pelo fato de que as reclamações são feitas atribuindo as dificuldades a algo externo, que não está sobre influência ou controle da pessoa.

Mas falar sobre e expor o problema é útil para impulsionar o raciocínio e estratégias de enfrentamento das dificuldades. É muito diferente refletir sozinho e falar com outra pessoa, pois são fenômenos cerebrais diferentes envolvidos. Falar pode ser mais estimulante para o cérebro que pensar sozinho sobre os problemas.

5 – Não dedicar tempo para si mesmo

Cuidar de si mesmo é fundamental para conseguir empreender. Não somos máquinas que ficam trabalhando tempos longos sem manutenção. O cuidado com si mesmo deve ocorrer diariamente.

Dedicar um tempo para si mesmo é fundamental para manter a disposição mental e física para enfrentar os desafios do empreendedorismo.

Perceba se seu corpo está dando dicas de que você precisa de tempo. Seu cérebro não parece funcionar efetivamente como funcionava? Você está mais irritado do que o normal? Está precisando tomar mais café que de costume?

São as sutilezas que mostram se você precisa cuidar de si mesmo. A prevenção de que algo de mal aconteça é o ideal, pois demora mais tempo para se recuperar se você já está muito estressado ou com pouca disposição para os trabalhos.

6 – Estagnar seu processo de autoconhecimento

O autoconhecimento tem ganhado mais valor recentemente. Empreendedores têm percebido que conhecer a si mesmo – potencialidades e limites – é imprescindível para tomar as melhores decisões e escolher os melhores caminhos para sentir-se realizado e independente.

Portanto, é essencial que empreendedores dediquem tempo para promover autoconhecimento, seja através da meditação, de terapia ou coaching. Para cada pessoa ou situação, um método pode ser mais eficiente do que outro.

7 – Isolar-se com frequência

O isolamento, na contemporaneidade, está associado ao desenvolvimento de diversos sintomas de enfermidades mentais, como a ansiedade e a depressão. São condições que comprometem o bem-estar, felicidade e trabalho das pessoas.

Muitas vezes, empreender pode ser algo solitário e recluso, no entanto, não perca de vista seus relacionamentos interpessoais. Preserve-os, pois eles estão relacionados inexoravelmente a sua capacidade cognitiva e emocional de lidar com os desafios da vida.

8 – Tentar controlar os outros

Como já foi dito anteriormente neste texto, não é possível controlar os outros, mas somente você mesmo.

Os empreendedores devem fazer o máximo para reconhecer estes limites, e assumir responsabilidade pelo que é seu de fato. Ao assumir responsabilidade, você está dando a oportunidade a si mesmo para mudar e melhorar.

E sobre o que é responsabilidade dos outros, não é possível fazer nada. Por exemplo, se alguém não responde aos seus contatos, não há nada o que fazer, pois é responsabilidade desta outra pessoa. Você deu o seu máximo para fortalecer a relação ou tentar alguma parceria, mas não houve correspondência. Então, o que é possível fazer com isso? Talvez entender que não será possível estabelecer esta parceria e procurar por outra em que de fato haja interesse mútuo?

Assuma a responsabilidade pelo que você faz e escolhe, e deixe o que parte dos outros para eles mesmos resolverem. Faça o que você pode fazer, com o que você tem!

Ao evitar ao máximo estas atitudes, você estará nos eixos para obter realização e sucesso. Esperamos que este conteúdo seja útil para sua jornada empreendedora! Assine nossa Newsletter gratuitamente para receber mais dicas sobre empreendedorismo bem-sucedido!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Share This
Navegação